Matéria

A hora certa de parar
Vitor Orlando Gagliardo - jornalista
govitor@yahoo.com.br

Você certamente já ouviu a frase: ‘tudo na vida tem um começo, meio e fim’. Pois é, o difícil é saber a hora que termina. Esse questionamento pode ser pensado em todas as nossas atividades do dia-a-dia. Entretanto, vou me ater ao mundo esportivo. Melhor, falarei do mundo do futebol.

Nesta semana, Ronaldo Fenômeno, atacante do Corinthians, disse que seu corpo está pedindo para parar de jogar. Fora de forma, o atacante não vem tendo boas apresentações. Pior, não tem nem uma sequência de jogos. Por tudo que já passou na carreira, será que Ronaldo precisa provar mais alguma coisa? Será que vale a pena se expor e correr o risco de jogar para fora tudo o que conquistou?

Esse é o grande dilema do jogador: qual a hora certa de parar? Pelé parou aos 37 anos. Romário passou dos 40. Essa exposição tende, na maioria das vezes, a ridicularizar o jogador que passa a ser chamado de ‘velho’, ou o que é pior, de ‘ex-jogador em atividade’. Em tese, toda sua história é esquecida.

Abaixo, listei uma série de jogadores questionados pelo seus rendimentos que ainda estão em campo:

Petkovic: 37 anos (Flamengo). Foi uma peça fundamental na conquista do Brasileiro do ano passado, mas neste ano, não consegue manter uma sequência. Parece sem ritmo de jogo.

Dodô: 36 anos (Vasco). É banco. Após a suspensão por dopping, em nada lembra o ‘Artilheiro dos gols bonitos’.

Túlio Maravilha: 40 anos. (Botafogo-DF). Está na busca do milésimo gol. Já fez 911.

Edílson: 39 anos (sem clube). Já se aposentoou ficando dois anos parado. Neste ano, voltou ao Bahia com uma passagem apagada. Agora diz que para de vez e quer virar técnico. Você acredita?

Viola: 41 anos (Brusque-SC). O atacante tetracampeão mundial virou um verdadeiro cigano do futebol passando por inúmeros times pequenos. Será que alguém lembra que ele já jogou no Corinthians, Vasco ou Palmeiras? E da seleção?

Jardel: Jardel 35 aos (Flamengo-PI). Ele saiu do banco de reservas do Vasco para formar um vitorioso ataque com Paulo Nunes no Grêmio. Foi eleito por cinco vezes, o maior goleador de Portugal. Problemas pessoais fizeram com que sua carreira perdesse o rumo e agora, roda por times pequenos do interior do país.

Sávio: 36 anos (Avaí-SC). O atacante que já foi considerado a maior promessa do Flamengo pós-Zico, já foi jogador do Real Madrid sendo elogiado por Zidane como um super jogador, hoje defende o Avaí-SC, após um retorno discreto ao Flamengo.

Denílson: 32 anos (Kavala-Grécia). O pentacampeão conhecido por suas firulas improdutivas está na Grécia, após uma apagadíssima passagem pelo Itumbiara (Goiás). Seu último time grande foi o Palmeiras, mas lá, ninguém sente saudades.

Rivaldo: 38 anos (Bunyodkor-Uzbequistão). Ele foi um dos grandes nomes da Copa de 2002. Teve brilhantes passagens por Corinthians. Palmeiras, La Coruna e Barcelona, onde ganhou o título de melhor jogador do mundo em 99.

Exceções

Juninho Pernanambucano: 35 anos (Al Gharafa). O jogador que se destacou por todos os clubes pelo qual passou, é idolo no Qatar. O Vasco tenta a todo custo repatriá-lo.

Roberto Carlos: 37 anos (Corinthians). O pentacampeão mundial vem mostrando um bom futebol. Como será seu desempenho até o final da temporada ainda é uma incógnita.


3 comentários:

Anônimo | 28 de maio de 2010 11:16

O jogador sabendo se cuidar, pode sim jogar sem passar por ridículo.

Anônimo | 28 de maio de 2010 11:17

Desde que evidentemente ele se encontre em rais condições de jogar.

Anônimo | 28 de maio de 2010 11:18

reais e não rais

Postar um comentário