Opinião

A imprensa no seu devido lugar

Vitor Orlando Gagliardo - jornalista

govitor@yahoo.com.br


As últimas duas semanas renderam muitas notícias para a imprensa. Dois jogadores causaram todo esse rebuliço: o volante Felipe Melo e o goleiro Bruno.

O primeiro foi tido como o ‘culpado’ pela precoce eliminação da seleção brasileira na Copa do Mundo. Já o segundo, foi ‘condenado como assassino’ de Eliza Samudio.


Perceba que coloquei em destaque dois termos. Primeiramente, como jornalista, questiono a postura que a mídia tem tido em relação aos dois casos citados acima. Por que Felipe Melo foi ‘o culpado’ pela eliminação da seleção? Todo o time fez um bom primeiro tempo e caiu no segundo. Por que culpar só um jogador? Por acaso, só este jogador agarra, defende, cria e faz gol?

E o caso Bruno? Por que a imprensa já o condenou como culpado? Ele já foi julgado? A prisão preventiva não configura a culpa e sim, uma suspeita. É claro que as investigações o apontam como culpado, mas ainda não o foi.

O papel da imprensa não é julgar e sim, apurar os fatos. O senso comum pode culpar o Felipe Melo ou condenar o Bruno, até porque age mais com a emoção do que com a razão. Mas a imprensa não pode. Assim como não pode ser parcial na cobertura de um time em detrimento de outro.


No caso Bruno, a cobertura da imprensa está sendo baseada em depoimento do delegado (a história mostram que eles erram, vide Escola Base) e em advogados que opinam em cima dos fatos apresentados, que não sabemos se são verdadeiros. Não é uma cobertura que esteja de acordo com os manuais de redação.

Não estou defendendo o Felipe Melo ou o Bruno. Acho que o primeiro errou no lance da expulsão, assim como todo o time errou jogando um futebol apático. Já no caso do goleiro, tudo aponta para que ele mesmo seja o mandante do crime.

O que não concordo é com cobertura da imprensa de julgamento. Sua função é apurar. Quem vai condená-lo é o juiz.


Memória


No ano de 1994, ocorreu em São Paulo um dos casos mais conhecidos e utilizados nas faculdades de jornalismo. Os donos da escola Base, Ichshiro Shimada e Maria Aparecida Shimada, foram acusados de abusarem sexualmente alunas da escola. O delegado Edelcio Lemos, sem verificar a veracidade das denúncias e com base em laudos preliminares, divulgou as informações à imprensa. A escola foi fechada e os donos da escola foram presos. Por fim, o caso foi arquivado por falta de provas. Os donos da escola nunca mais foram as mesmas pessoas. Hoje, veículos de comunicação ainda são processados pelos seus erros nas coberturas.

7 comentários:

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:16

Você tá certo e concordo contigo, mas, infelizmente, a imprensa sempre tomou partido das coisas, sempre esteve de um dos lados. Isso sempre foi assim e sempre será; aquela emissora, ou jornal, ou qualquer que seja o meio de comunição, que ficar "em cima do muro" (ou seja: imparcial), não terá lucro, ibope, retorno, ou como quiserem chamar.

Eu sei, a mídia é suja, mas é isso aí; tem coisas que não se tem como mudar, ou - pelo menos - não a curtos prazos.

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:16

Chega a ser nojento ver a manipulação explícita da mídia em certos casos. Mas, infelizmente, a massa É manipulada, o que só dá mais poder ainda pra essas emissoras, sites e tudo mais. =/
O mundo é foda, cara. O ser humano é o animal mais sujo do planeta. Haha

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:17

Pô, nem achei que eles "culparam" Bruno, não.
Só foram noticiando o andamento do caso.

Agora com Dunga e Felipe Melo... putz...

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:18

A represália que todos os meios de comunicação de todo o Brasil fizeram contra o Dunga depois que o Brasil saiu da Copa, PUTA QUE PARIU! Eu não me lembro de terem feito algo parecido assim antes. Zoaram fotos, entrevistas, chamaram de BURRO... Assim, em plena capa de jornal.
O cara errou? Beleza...
Não gostava da mídia? Cada um gosta daquilo que quer...
Mas apelar desse jeito? Já é demais. Foi ridículo.

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:19

nunca vi alguém virar tanto inimigo público quanto Dunga.
Muito ridículo.

Anônimo | 10 de julho de 2010 02:22

Concordo!

A imprensa não pode dar o cara como culpado!
Nós podemos achar o que for, os jornalistas também, mas as notícias devem ser imparciais.

Sobre o Felipe Melo, é uma baita sacanagem o que fizeram com ele.
Sorte a dele que apareceu o "Caso Bruno", senão, eles estaria sendo massacrado até agora!

Anônimo | 13 de julho de 2010 11:54

O Felipe Mello foi julgado, porque ninguém queria ele na seleção. Como errou, pagou o pato. Não é, e nunca será jogador de seleção brasileira. Essa é realmente a grande verdade.
Quanto ao Bruno, ele tem culpa sim senhor!

Postar um comentário