Opinião

Pulseirinhas do sexo

Talitha dos Prazeres Berner - estudante de Pedagogia


Está na mídia um assunto um tanto confuso referente às pulseirinhas do sexo. Para os que nunca ouviram falar, trata-se de pulseiras feitas de plástico com diferentes cores que aparentemente foram criadas para serem trocadas por amigos. Porém, ocorreu que em algum determinado momento, atribuiu-se a estas, conotações sexuais que vão desde beijo até o ato sexual propriamente dito, cada uma sendo representada por uma cor e cabe ao menino ou menina arrebentar esta pulseira para que aconteça o que representa seu significado.


Porém, ocorreu um processo errado: em vez de instruir as crianças e os adolescentes, passou-se a reprimir o seu uso. Foi publicada uma resolução no Diário Oficial proibindo o uso dessas pulseiras além de aparelhos eletrônicos e bonés no ambiente escolar. Segundo a resolução, os professores e diretores podem confiscar os objetos e apreendê-los por até dois anos.

A grande questão e confusão está nesse contexto. Até que ponto, é possível proibir uma pessoa de usar um objeto que traz consigo qualquer tipo de conotação, só por que não se deseja fazer o esforço de explicar o significado que este possui?

Aqui se trata da conotação sexual, mas poderia ser outra qualquer. O grande problema que está ocorrendo em nossa sociedade é a troca de responsabilidade e a falta de compreensão dos pais em entender que seus filhos estão crescendo e isso acarreta em novas fases de descobrimento.


No que diz respeito a troca de responsabilidade, estou me referindo a passagem de poder da grande maioria dos pais para a escola. A educação deve vir de casa e unir-se a educação dada no ambiente escolar e não ocorrer o oposto. Deixar a responsabilidade de educar os filhos para a escola é um erro.

Por tal motivo, o sistema escolar, estando saturado, não se preocupa em tentar explicar ou pedir aos pais para conversarem com seus filhos. Como medida efetiva e definitiva, preferem acabar com o assunto ao publicarem uma resolução.

Isso acarreta que a necessidade das crianças e adolescentes não cessou com a proibição do uso. Eles ainda necessitam de explicações, pois se o uso esta relacionado a esta conotação sexual significa que desejam saber sobre o assunto.

Tal proibição somente irá cessar o uso destas pulseirinhas do sexo, mas e depois? Teremos anéis, cordões, brincos .... A necessidade da criança e do adolescente em saber do assunto se manifestará em outro objeto. Provavelmente, teremos uma nova resolução proibindo o seu uso. O fato é que a real necessidade destes adolescentes e crianças não serão levadas em conta e nem explicadas.


O significado das cores

Amarela - abraço
Rosa - mostrar o peito
Laranja - mordida
Roxa - beijo com a língua - talvez sexo
Vermelha - dança erótica
Verde - sexo oral a ser praticado pelo rapaz
Branca - a menina escolhe o que lhe apetecer
Azul - sexo oral a ser praticado pela menina
Preta - ato sexual

Dourada - combinação de todas as cores


1 comentários:

Anônimo | 29 de maio de 2010 11:29

A proibição pura e simples é um grande erro, talvez tenha resultado inverso, os adolescentes adoram burlar regras, faz parte da transição deles, concordo plenamente com vc, devemos sempre ser educadores e explicar todos os assuntos para nossos filhos e alunos, a repressão não educa, porque não se fudamenta...

Postar um comentário