Matéria

Canecão x UFRJ
Vitor Orlando Gagliardo - jornalista
govitor@yahoo.com.br

Continua o embate entre Canecão e UFRJ. Foi aceito o recurso da casa de show pela Tribunal Regional Federal contra a reintegração da posse do imóvel à UFRJ. Assim, o local será reaberto. No entanto, a liminar é provisória. A universidade já afirmou que vai recorrer.

Canecão sendo interditado pela polícia

Fonte: O GLOBO

No site do Canecão estão mantidas as datas dos próximos shows, mas a Ticketronic, empresa responsável pela venda de ingressos on line, não está vendendo as entradas.

Entenda o caso

O terreno onde se encontra o Canecão foi cedido à UFRJ em 1950, pela União a título precário, à extinta Associação dos Servidores Civis do Brasil. A universidade sublocou parte do terreno doado ao Canecão em 1992 por um período de cinco anos. Ao término do contrato, a empresa não devolveu o imóvel à universidade e uma acirrada disputa judicial teve início.

Em maio de 2009, a UFRJ conseguiu uma vitória junto à Procuradoria Regional Federal do Rio. O Canecão teria de devolver o espaço e pagar uma indenização à universidade. No entanto, uma série de liminares foram garantindo sobrevida a casa de shows.

Na semana passada, a empresa não respeitou a decisão da 3ª Vara Federal do Rio e a Polícia Federal participou da ação de reintegração, lacrando o local.

Futuro indefinido

Além das possíveis batalhas judiciais, o certo é que a UFRJ ainda não sabe o que será feito no local. O reitor da universidade, Aloisio Teixeira, já declarou que não fará nenhum tipo de acordo e que pretende convocar a classe artística do Rio para discutir a criação de um centro cultural no local.

Opiniões



. Rodrigo Santos (cantor)

Acho que o Canecão sempre foi a casa da música no Rio de Janeiro e um cartão de visitas nacional para grandes espetáculos. Mas tem um limite a inadimplência e pelo que tenho lido, também tem havido arrogância em se tratando das declarações sobre a dívida. Ora, existe um aluguel, existe uma dívida a se pagar. E não é de ontem, tem tempo. Acho que o certo é pagar a dívida (nem que seja aos poucos) e não deixar o Canecão fechar, pois o publico tem uma adoração por esse espaço e os artistas então, tem parte de sua alma guardada ali. Fiz muito show lá (Lobão, Barão, Britos, Kid) e tenho gravado um DVD da carreira solo (2008) que ainda não lancei. Como fazer isso? Deixo as autoridades competentes resolverem. Mas um dia isso ia acontecer... era anunciado. Uma pena ....

. Marcelo Fróes (produtor musical)

O Rio de Janeiro já estava muito combalido por ser uma cidade tão comprida e ser tão perigoso transitar entre os bairros à noite. Tínhamos poucas opções para bons shows, e agora temos menos ainda. A Prefeitura gastou milhões numa Cidade da Música que ninguém sabe, ninguém viu, e agora perde-se o Canecão por causa de uma besteira. Quem olha Botafogo de cima vê quanto espaço a Universidade ocupa ali e que o Canecão ocupa um quinhão muito modesto, insignificante em termos de área, em comparação ao buraco que sua destruição gerará. Prefeito, Governador, Presidente, Secretários e Ministros, Vereadores e Deputados, acordem!

Jamil Chevitarese (técnico de som)

O que posso falar do Canecão?

Falar do vazio que vai ficar na cena cultural do Rio de Janeiro ... Lembrar dos grandes espetáculos que passaram ( e muitos eu tive a honra de assistir ) naquela casa que muitas vezes tratava mal os clientes e artistas ... Pensar na grande bobagem que está sendo feita, pois devemos deixar a iniciativa privada tomar conta de lá (o poder público não tem condições de gerir o local pois não tem experiência para tal).

Desde já muitas saudades!

Fotos: Rodrigo Santos e Marcelo Fróes (divulgação) e Jamil Chevitarese (Escola Marista)

2 comentários:

Anônimo | 19 de maio de 2010 10:49

Quantas vezes tive vontade de ir ao Canecão e as vezes não dava para ir, por motivo de dinheiro ou algum outro compromisso mas,tive o prazer de assistir um lindo show lá. O Rio de Janeiro ficará muito triste sem esta casa para show. Quem sabe se o nosso Presidente ou alguma outra autoridade poderá nos ajudar? Abraços e saudades.

Eliane* | 19 de maio de 2010 21:43

Confesso que não conheço muito dessa disputa.

Apesar de saber da importância que a casa tem no cenário musical, concordo com o que o Rodrigo Santos expôs: Se existe uma dívida, ela deve ser paga.

Pelo que entendi, a tal empresa usufrui de um bem imóvel que não é dela desde 1997 sem pagar nada a quem de direito.

Aí já é ser folgado e cara-de-pau!

Sei lá... esperar para ver o que acontece.
Vou acompanhar melhor isso.

Postar um comentário