Opinião

Crueldade sem limites

Vitor Orlando Gagliardo - jornalista

govitor@yahoo.com.br


Na semana passada, a revista Times publicou uma capa um tanto quanto polêmico. Trata-se uma mulher afegã que foi covardemente maltratada pelo marido. Seu nome é Aisha. Com apenas 18 anos, ela já foi vítima de inúmeros atos violência doméstica. Cansada dessa vida, tentou fugir. Seu marido, um comandante talibã, evitou a fuga e castigou-a cortando seu nariz e as orelhas.


A notícia chama atenção por diferentes motivos. Do ponto de vista jornalístico, divide opiniões por ser matéria de capa. Geralmente essas imagens são evitadas na primeira página (não cito os jornais populares). Outro ponto que choca é sobre o mau trato. Embora sejam culturas diferentes, não acredito que um ato brutal possa ser algo normal. Ainda há mais um ponto que é a guerra política, envolvendo americanos e ingleses na caça ao terrorista Bin Laden (Aisha está refugiada no exército americano).


O que mais impressiona é que fatos assim são comuns. Há uma fundação, Acid Survivors Foundation, que cuida de pessoas vítimas de acidentes de ácidos. Essa fundação localizada no Paquistão, tem, entre seus pacientes, mulheres como maioria. Detalhes: são vítimas de ataques covardes de seus maridos.



Como exemplo, há o caso de Saira Liaqat. Ela tinha 26 anos quando esta foto foi tirada. Ela teve seu rosto queimado. Saira se casou com um parente aos 15 anos, mas continuou morando com seus familiares até o término da escola. O marido não se conformou em não tê-la ao lado. Após tentativas frustradas de fuga, ele jogou ácido no rosto de sua esposa. Saira já fez nove cirurgias plásticas.


Está é uma realidade que não acompanhamos de perto, mas que existe e está bem viva em uma outra cultura.





21 comentários:

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:13

Que isso!!

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:13

fiquei chocada com a foto!

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:14

SO TEM MALUCO NESSA PORRA

Vitor | 10 de agosto de 2010 23:15

tem até um e-mail rolando na internet com vários casos desse tipo.

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:15

essa merda de do Irã e outros paises que defendem isso deveriam ser esterminado do planeta!

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:16

E minha namorada acha que eu sou ignorante.

Ta vendo? Reclama de barriga cheia kkkkkkkkkkkkkkkk

pelo menos eu não jogo ácido nela HUAHUAHUA

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:17

já me cansei desses extremistas

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:18

covardia não, isso é a religião ou cultura dos cara

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:19

Por isso é que digo que todas as crença e cultura devem ser respeitadas, sob a condição de não aviltar a vida.
Isso não é crença ou cultura válida...

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:19

eu tenho repúdio a Violência domestica, mas é a cultura deles
-
-
para mim essa cultura não é valida, para eles essa cultura é valida.....quem tá certo ?

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:21

por aqui alguns jogam as mulheres aos cachorros

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:22

Você já viu o que nossas torcidas organizadas fazem?

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:22

Vá tentar sofismar com outro, sim? Eu expus um ponto de vista RAZOÁVEL, EMBASADO.
Acredito que a vida valha mais. No que ELES acreditam?

Vitor | 10 de agosto de 2010 23:23

seria então uma espécie de globalização da violência?

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:24

BARBÁRIE, ESSES CARAS VIVEM NA IDADE MÉDIA E COM SEUS MALDITOS HÁBITOS.

ESSE PAÍS PRECISA LEVAR UM "CHOQUE" DE OUTRA CULTURA, PQ ESSA CULTURA NAO DÁ PRA DEFENDER.

DANE-SE A CULTURA DELES.

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:29

ESSA CULTURA NÃO É VÁLIDA!

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:30

aqui tbm rola disso, mas não dessa forma tão violenta...........
-
Quantas mulheres sofrem violência domestica, mas não denunciam, pois tem medo de acabar com o casamento e perder os filhos ?

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:31

Não dá. Não aceito a cultura deles, como não aceito religiões que sacrificam animais, pois NADA, NADA É MAIS IMPORTANTE DO QUE A VIDA!
O ácido é só um detalhe: aceitar a morte é o pior, a dor apenas faz parte...

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:31

o foda é q essa é a cultura deles.... vem de anos já... como q vc vai fazer eles pensarem q isso é errado depois de mais de 2000 anos fazendo isso achando q tá certo



eu acho errado, mas são as leis deles, a cultura deles... vai fazr o q? tacar uma bomba e explodir td mundo?

Anônimo | 10 de agosto de 2010 23:32

Cara, nem adianta discutir isso. Isso é uma cultura de muito tempo, e não mudará tão fácil isso, se mudará.

agnes | 11 de agosto de 2010 19:11

recentemente li o livro 'a cidade do sol', do mesmo autor do 'caçador de pipas'. e ele retrata bem essa realidade que nos parece tão aversa: a vida das mulheres nesses países do oriente, principalmente no Afeganistão. duro perceber como as coisas insistem em não mudar em alguns lugares...

Postar um comentário