Exclusivo

O Talismã Alvinegro
Vitor Orlando Gagliardo - jornalista
govitor@yahoo.com.br

Ele tem apenas 19 anos, mas já impressiona pela técnica. Caio começou sua carreira no Volta Redonda em 2007. Seu futebol vistoso chamou a atenção da Udinese, mas ele foi emprestado ao time de juniores do São paulo. De volta ao Voltaçõ, o jogador repetiu as boas atuações, sendo contratado pelo Botafogo. No começo deste ano, O Talismã Alvinegro, como é chamado pela torcida, foi uma grata surpresa no Campeonato Carioca. Com boa técnica e rapidez, ele foi eleito a revelação do campeonato. Em uma entrevista exclusiva ao Blog Desburocratizando, Caio disse que se considera uma realidade, falou da briga com Herrera, das vaias da torcida e da vontade de permanecer no Glorioso. “Ainda tenho objetivos no Botafogo. É preciso ter paciência e caso aconteça uma negociação sair na hora certa e por cima com o clube e com a torcida”.

Sou uma realidade.

Crédito das fotos: divulgação

1. Você acha que ainda é uma aposta ou já se considera uma realidade no futebol brasileiro?

Acredito que sou realidade. Já fiz gols importantes em clássicos e na minha opinião ajudei o Botafogo na campanha do Campeonato Carioca. Também já atuei diversas vezes na equipe titular. Tenho certeza que falta ainda muita coisa, mas trabalho todos os dias para conseguir realizar todos os meus sonhos como jogador de futebol.

2. O Botafogo está fechando a contratação do apoiador Maicossuel e do atacante Jobson, o que vai deixar a briga pela vaga de titular ainda mais acirrada. Como você vê essa disputa?

Eu vejo sempre como uma disputa saudável. Acho que cada um tem seu espaço no clube. Por isso, não fico preocupado com isso.

3. O Joel já disse que você é uma grande arma para mudar o jogo. Te incomoda a reserva?
Não.Mas, no momento que a gente entra, começa a jogar bem e marcar gols, significa que você pode dar algo mais, ao invés de ficar apenas no banco, e entrar no decorrer do jogo.

4. Você se destacou no Carioca como jogador habilidoso de futebol objetivo e alegre. Foi, inclusive, eleito a revelação do campeonato. Como está sendo a marcação adversária no Brasileirão?

Está dura demais. O pessoal chega pesado em alguns lances, mas atacante tem de ser acostumar com isso. A gente acaba ficando mais visado, mas isso só acontece porque o adversário sabe do meu potencial.

5. Sobre sua expulsão na vitória contra o Goiás, o que de fato ocorreu entre você e o Herrera?

Muito desagradável. Só aconteceu porque os dois erraram, mas já conversamos e resolvemos tudo. Foi um momento de descontrole que custou caro ao clube, por isso fomos punidos pela diretoria. Sempre tivemos um excelente relacionamento. Certamente nossa boa relação não ficará abalada por conta deste episódio isolado. Em pouco tempo de clube, Herrera e eu já demos alegrias ao Botafogo.

6. Há quem diga que você e o Herrera não se entendem desde o confronto contra o Flamengo no Carioca. Ele teria chamado-o de 'fominha' naquele jogo. Essa informação procede?

Não. Infelizmente algumas pessoas gostam de tumultuar ou procurar confusão onde não existe. Uma pena!

7. Pelo segundo jogo consecutivo você é vaiado pela torcida. Como você está lidando com essas vaias?

Estou tranquilo. Torcedor tem memória curta e isto faz parte da carreira de qualquer jogador. Isto pode mudar na próxima rodada. Basta o Botafogo vencer e eu marcar um gol.


8. O seu futebol começa a chamar a atenção de clubeus europeus. Recentemente, foi noticiado um suposto interesse do Napoli. O que há de concreto sobre seu futuro? Há alguma chance de você sair com a janela de transferência após a Copa?

A chance de eu sair agora é pequena. Ainda tenho objetivos no Botafogo e este é o meu primeiro Campeonato Brasileiro. Tudo isto serve de amadurecimento. Não quero queimar uma etapa na minha carreira. É preciso ter paciência e caso aconteça uma negociação sair na hora certa e por cima com o clube e com a torcida.

9. O que a torcida pode esperar do Botafogo nesse Brasileiro?

Pode esperar um time que irá lutar pelo título. O Botafogo mostrou força no Campeonato Carioca e já na primeira rodada do Campeonato Brasileiro jogou duro contra o Santos, talvez o melhor time do Brasil.

1 comentários:

Anônimo | 2 de junho de 2010 11:14

A torcida não tem motivos para vaiar o caio. depois o jogador vai embora e ficam chorando.

Postar um comentário